Crianças com intolerância à lactose: como orientar os pais

 

O único tratamento contra a intolerância à lactose é evitar os derivados do leite. No entanto, com um filho pequeno, pode parecer complicado trocar o leite por outros alimentos, e é necessário atenção às embalagens dos produtos para verificar os componentes. No entanto, ainda existem alternativas, e nem sempre é preciso remover o leite da alimentação.
A intolerância à lactose é a impossibilidade de produzir a enzima lactase –  responsável pela digestão do principal açúcar do leite – em quantidade necessária. Apesar de não ser considerada uma doença, é importante controlá-la, pois o bebê que apresentar quadros de intolerância à lactose terá diarreias, dores abdominais e mal-estar constante.
“Caso seja necessária a eliminação dos derivados do leite da alimentação, é preciso garantir a compensação do cálcio” é o que afirma a Dra. Elza Mello, médica nutróloga associada à ABRAN, Associação Brasileira de Nutrologia. “Há casos, como na pediatria, que o leite é a única fonte de cálcio. Dessa forma, o médico indicará fórmulas de leite sem lactose ou mesmo de soja”, completa a nutróloga.

Tipos de intolerância à lactose:
1) Deficiência congênita ou primária: ocorre quando bebês nascem sem a capacidade de produzir a enzima lactase.

2) Deficiência secundária: depois de contrair alguma gastroenterite, acontece uma alteração na produção da enzima. A intolerância dura algumas semanas apenas.

3) Deficiência do tipo adulto ou ontogenética: trata-se da redução da produção de enzimas e é o tipo mais comum e afeta a maior parte das pessoas. Naturalmente, o corpo passa a produzir menos lactase.

Como descobrir se o bebê tem intolerância à lactose ou alergia
É raro que o bebê já nasça intolerante à lactose. Caso isso aconteça, ele não conseguirá digerir nem o leite materno e nem fórmulas artificiais à base de leite de vaca.
Mas se o caso for a contração de uma gastroenterite, como viroses, que ocasionam muitas vezes diarreia, ele pode apresentar sintomas de intolerância à lactose que não perduraram mais que semanas. “A intolerância, neste caso, será sempre resolvida depois da cura da doença primária que a originou. A intolerância só será para sempre quando for do tipo adulto, mas com graus diferentes de aceitação de lactose”, relata a médica nutróloga Elza Mello.
Caso haja sintomas como problemas respiratórios, vômitos e inchaço nos olhos e lábios, é possível que o bebê tenha alergia ao leite.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *