por Dra. Ivana Fernandes Souza

Ginecologista na Clinifemina e na Clínica Eduardo Fraga / Professora do Curso de Medicina da Universidade do Sul de Santa Catarina

 

Outubro ROSA é o mês designado a alertar a população sobre a importância da prevenção e o diagnóstico precoce do câncer de mama.

Este é o tipo de câncer mais comum entre as mulheres no Brasil e no mundo, depois do câncer de pele. É relativamente raro antes dos 35 anos e torna-se mais frequente após os 50 anos. No Brasil foram diagnosticados 59.700 novos casos em 2018.

O câncer de mama também pode acometer os homens, porém, com uma frequência muito baixa, cerca de 1% do total de casos diagnosticados da doença.

A maioria dos cânceres de mama, não têm origem hereditária, mas está relacionado a outros fatores, como: exposição prolongada ou inadequada a hormônios (estrogênios), obesidade, ausência de atividade física, irradiação na parede torácica para tratamento de outras doenças malignas, excesso de ingesta de gordura saturada e álcool. O acúmulo de exposição aos fatores de risco ao longo da vida e as próprias alterações biológicas do envelhecimento aumentam o risco para o câncer de mama. Mulheres mais velhas, sobretudo a partir dos 50 anos, são mais propensas a desenvolver a doença.

O câncer de mama hereditário, aquele de ocorrência familiar, corresponde a apenas 5% a 10% dos casos.

prevenção do câncer de mama está relacionada a mudanças no padrão de vida.

Cerca de 30% dos casos de câncer de mama podem ser evitados com a adoção de hábitos saudáveis como:

 

Quanto mais precoce for o diagnóstico maior a chance de cura. É muito importante que a mulher examine suas mamas e procure o ginecologista diante de qualquer alteração. Se você apresentar algum dos sinais e sintomas listados abaixo, procure avaliação médica imediata:

  • presença de nódulo (caroço), fixo e geralmente indolor (presente em cerca de 90% dos casos quando o câncer é percebido pela própria mulher);
  • pele da mama avermelhada, retraída ou parecida com “casca de laranja”;
  • alterações no bico do peito (mamilo);
  • pequenos nódulos nas axilas ou no pescoço;
  • saída de líquido anormal das mamas.

A realização do auto exame de mamas, a avaliação médica das mamas, associada a realização da mamografia são fundamentais para o diagnóstico do câncer de mama. Os benefícios da mamografia de rastreamento incluem a possibilidade de encontrar o câncer no início e ter um tratamento menos agressivo, assim como menor chance de morrer da doença em função do tratamento oportuno.

A Sociedade Brasileira de Mastologia recomenda a realização da mamografia anual, apartir dos 40 anos. Na rede pública, o exame está disponível para mulheres entre 50 e 69 anos.

Observe-se e diante de qualquer alteração procure seu médico imediatamente, a cura pode estar em suas mãos!

Dra. Ivana Fernandes Souza

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *