Faça sua pesquisa:

Mastologista: quem é e quando devo procurar este profissional?

+

câncer de mama é o segundo mais comum entre as mulheres brasileiras. Infelizmente, essa doença ainda é um assunto que muitas famílias não discutem. Por isso, há quem não saiba muito sobre a importância de um mastologista, o que é e quando procurar este profissional.

Pensando nisso, elaboramos este artigo falando sobre as principais atribuições desta especialidade e em quais situações você deve procurar ajuda médica. Siga com a gente nessa leitura para saber mais sobre os cuidados com as suas mamas e a sua saúde.

O que um mastologista pode tratar?

O mastologista é o médico com especialização em estudar, prevenir, diagnosticar e tratar doenças ou alterações das mamas, ou relacionadas a elas. Este profissional é responsável por promover e executar os meios terapêuticos (cirúrgicos, reparadores e clínicos) necessários para o tratamento ou prevenção dessas doenças.

De maneira geral, podemos dizer que o foco da atuação de um mastologista está direcionado ao câncer de mama. No entanto, este especialista também atua em casos de:

  • Mastite – inflamação ou infecção da mama, comum durante a amamentação.
  • Nódulos – formação de caroços, massa ou área endurecida.
  • Assimetrias – ou alteração de forma, ou aparência das mamas.
  • Ginecomastias – desenvolvimento das glândulas mamárias em homens.

Quando procurar um mastologista? 

Assim como ocorre com o ginecologista, o ideal é que toda mulher faça exames de rotina com o mastologista. A recomendação da OMS (Organização Mundial da Saúde),portanto, é que esses cuidados sejam intensificados após os 40 anos, como medida preventiva, especialmente com relação ao câncer de mama.

Mas há situações que indicam a necessidade de procurar a avaliação de um especialista o mais rapidamente possível. Neste sentido, é crucial marcar uma consulta quando perceber alguns desses sintomas:

Dores

No período que antecede a menstruação, as dores na mama podem ser comuns. Isso se dá por conta das alterações hormonais próprias desta fase. Já quando a dor é recorrente, constante e causa um incômodo diferente do que ocorre na TPM, é importante passar por uma avaliação especializada para diagnosticar a origem da dor.

Nódulos

Da mesma forma que descrevemos os episódios de dor nas mamas, os nódulos devem ser avaliados por um profissional. Eles podem ser císticos ou sólidos, benignos ou malignos.

Portanto, ao perceber qualquer caroço nos seios, é imprescindível marcar uma consulta com um mastologista. Para saber mais sobre o que um nódulo na mama pode indicar, confira este artigo que publicamos recentemente.

Alterações na aparência

Conhecer e observar o próprio corpo é o primeiro passo para identificar quando algo não está bem. Ao perceber qualquer mudança no aspecto da mama, fique atenta. As alterações mais comuns, que podem ser consideradas sinais de alerta, são:

  • mudança no formato do mamilo, deixando-o repuxado para dentro, por exemplo;
  • formação de covinhas, deixando a pele com aparência de casca de laranja;
  • secreção avermelhada ou incolor nos mamilos;
  • vermelhidão, inchaço ou secreção.

Qual a importância dos exames preventivos?

Fazemos questão de reforçar a importância da prevenção de todas as doenças. E, especialmente contra o câncer de mama, esta prática é ainda mais necessária. Números divulgados pelo Ministério da Saúde mostraram que, em 2020, houve uma redução de 84% na quantidade de mamografias realizadas no Brasil, em comparação com 2019.

Essa queda é preocupante sobretudo se considerarmos que, a cada novo ano, quase 20 milhões de mulheres sofrem com o câncer de mama em todo o mundo. Quando descoberto na fase inicial, há 90% de chance de cura. Assim, é fundamental procurar um mastologista para cuidar da prevenção e diagnóstico precoce da doença.

Mais do que o auto-exame, a mamografia é uma das formas mais eficazes para detectar a doença na fase inicial. No Brasil, ela está disponível na rede pública de saúde para mulheres a partir dos 40 anos, e deve ser anual segundo a Sociedade Brasileira de Mastologia. 

Antes de realizar a mamografia, é preciso passar por uma consulta com um médico mastologista. Nesta avaliação, o profissional fará uma análise das suas condições clínicas, histórico familiar e de doenças, seus hábitos e sintomas. Em alguns casos, uma ultrassonografia pode ser necessária para complementar a mamografia.

Por esta razão, é fundamental contar com um médico altamente qualificado e experiente na prevenção e tratamento dos distúrbios da mama. Para contar com essa assistência, procure nossa equipe de atendimento e agende sua avaliação com um de nossos mastologistas.

Publicado por:
Desde 1999, a Clinifemina conta com diversas especialidades para cuidar integralmente da saúde dos seus pacientes.
Share

Posts relacionados

+