Faça sua pesquisa:

Tipos de DIU: saiba qual é a indicação de cada um

+

Diversos são os métodos contraceptivos existentes, e você pode conhecê-los através do artigo aqui do site. Mas, os que vem ganhando bastante destaque e por isso merecem nossa atenção são os diferentes tipos de DIU.

Como você sabe, o conhecimento é essencial para cuidar da saúde. Por isso, preparamos esse material para explicar e tirar suas dúvidas sobre o que é e como funciona esse método, os tipos, suas vantagens e desvantagens. Siga com a gente!  

O que é o DIU e como ele funciona?

O DIU, ou dispositivo intrauterino, é um método contraceptivo reversível e de longo prazo. Formado por uma pequena estrutura em formato de “T” ou “Y”, ele é colocado, por um médico, no interior do útero da mulher.

Existem dois tipos de DIU, e ambos impedem a fecundação por não permitir o contato dos espermatozóides com o óvulo. Isso acontece através da liberação de substâncias — hormonais ou não — que inibem a movimentação dos gametas masculinos e femininos dentro do útero. 

Qual a margem de segurança do DIU?

Dependendo do tipo de DIU, a eficácia do método e o tempo de duração são diferentes. O DIU não hormonal chega a permanecer no corpo por 10 anos — sem precisar de troca — e apresenta um risco de falha que pode variar de 0,6% a 0,8%.

Já o DIU hormonal, possui uma durabilidade de até 5 anos e o risco de falha decai para apenas 0,2%. De maneira geral, os dois tipos apresentam uma eficácia que chega a 99%, com taxa de gravidez inferior a 1 a cada 100 mulheres por ano. Além disso, nenhum protege contra DSTs (Doenças Sexualmente Transmissíveis). 

Quais os tipos de DIU e suas características?

De forma geral, existem dois tipos de DIU, e apesar de ambos serem recomendados para mulheres que querem um método contraceptivo reversível e de longo prazo, eles possuem composições e funcionamentos distintos: 

DIU não hormonal

Também conhecido como DIU de cobre ou de prata, possui a estrutura feita de plástico e revestida com um dos — ou ambos — metais. Ele evita a fecundação por liberar pequenas quantidades do revestimento no útero.

Isso impede a fixação do óvulo na região e a passagem dos espermatozóides para o mesmo local. Devido às mudanças provocadas no muco cervical e no tecido do interior do órgão pela interferência dos componentes. 

  • Indicações: É ideal para mulheres que desejam método sem nenhum hormônio e que possuem fluxo menstrual leve e sem cólicas.
  • Vantagens: Possui poucos efeitos colaterais, não causa ganho de peso e não afeta o humor nem o desejo sexual. 
  • Desvantagens: Pode provocar o aumento de cólicas e do fluxo menstrual.

DIU hormonal

Ao contrário do DIU não hormonal, este libera progesterona no organismo, impedindo a fixação do óvulo no útero. Além disso, faz com que o muco do colo do útero se torne mais espesso e esse forma um tampão, que não permite que os espermatozóides entrem no útero, evitando, novamente, a fecundação.

  • Indicações: É adequado para mulheres que buscam reduzir o volume da menstruação e as cólicas ou para quem possui adenomiose ou endometriose.
  • Vantagens: Diminui cólicas e o fluxo menstrual, por vezes, pode inclusive trancar a menstruação e protege contra o câncer de endométrio.
  • Desvantagens: Pode apresentar alguns efeitos colaterais: perda do desejo sexual, aumento da oleosidade da pele e/ou cabelos e sangramento ocasional de escape.

O DIU tem contra-indicações?

Apesar de ter muitas vantagens, esse método apresenta algumas contra-indicações conforme o tipo escolhido. O DIU hormonal não é indicado para mulheres que tiveram câncer de mama ou que apresentam doenças hepáticas, infecção do trato genital, câncer de útero ou de fígado.

Já o não hormonal, não é recomendado para mulheres que apresentam problemas na coagulação, aquelas que possuem muita cólica, um fluxo menstrual bem intenso, ou que tenham alergia a cobre ou prata. Para ambos dispositivos, a mulher não pode apresentar suspeita de – ou gravidez.

O que fazer antes de iniciar o uso do DIU?

A primeira coisa a ser feita é uma consulta com um ginecologista, já que apenas ele pode fazer a inserção do DIU. Mas, antes desse processo, ele irá analisar o histórico médico e fazer exames como o Papanicolou e o ultrassom transvaginal.

Com os resultados, o médico irá avaliar se o contraceptivo é a melhor opção, assim como qual dos tipos de DIU é o mais indicado. É muito importante que a paciente respeite todo esse processo para evitar problemas de saúde.

O processo para colocar o método é bem simples. É feita a higienização do colo uterino por antisséptico, e, depois da avaliação médica, é colocado o aplicador que carrega o DIU até o interior do útero. Não é necessário repouso após o procedimento, e durante a inserção sentem-se 3 cólicas, parecidas com cólica menstrual.

Como você viu ao longo do nosso artigo, o DIU é um método contraceptivo muito eficaz e prático. Isso explica porque mais de 170 milhões de mulheres fazem uso dele. Se você está pensando em começar com ele, pode contar com a nossa ajuda! Juntos, vamos encontrar o melhor método contraceptivo. Fale com a nossa equipe de atendimento ou agende sua consulta aqui mesmo pelo site! 

Publicado por:
Lorem ipsum dolor sit amet consectetur adipiscing elit elementum vel risus eu placeratuis molestie vitae quam quis commodo.
Share

Posts relacionados

+