Faça sua pesquisa:

Exames de câncer de próstata: quais são e quando fazer

+

Se você assiste televisão ou acessa as redes sociais, possivelmente já ouviu falar sobre o Câncer de próstata. Muitas entidades de saúde e a comunidade médica têm unido esforços para divulgar cada vez mais informação sobre a prevenção desta doença. É o que ocorre durante o Novembro Azul, por exemplo.

E essa mobilização não é sem motivo: fazer exames preventivos é a forma mais eficaz de diagnosticar o Câncer de próstata em sua fase inicial e ganhar tempo na luta contra a doença. Se você não sabe quais exames fazem parte do check-up urológico, vamos falar sobre eles neste artigo. Fique com a gente.

O que é o Câncer de Próstata?

Antes de descrever os exames necessários ao diagnóstico, precisamos falar um pouco sobre o Câncer de próstata. Essa doença atinge mais de 65 mil homens todos os anos no Brasil, de acordo com o INCA (Instituto Nacioal de Câncer). Ela se forma a partir do crescimento de células tumorais na próstata ou na região.

Na maioria dos casos, o tumor cresce de forma lenta e assintomática. Normalmente, quando surgem os sinais, a doença já está em um estágio muito avançado. Por esse motivo, realizar exames preventivos com regularidade é tão fundamental.

💡

A próstata é uma pequena glândula masculina, responsável por produzir parte do sêmen, metabolizar a testosterona e regular o fluxo urinário.

Quais os fatores de risco para o Câncer de Próstata?

Assim como ocorre em outros tipos de câncer, o que acomete essa glândula pode se desenvolver por vários fatores. A idade é o principal deles, já que, pela estatística do INCA, 75% dos casos no mundo são diagnosticados a partir dos 65 anos.

Mas esse não é o único causador do câncer de próstata, como mostramos na sequência:

  • obesidade: o excesso de gordura corporal aumenta o risco do câncer de próstata avançado;
  • hereditariedade: homens com histórico familiar de câncer de próstata podem estar mais suscetíveis à doença quando o parentesco é direto;
  • ocorrência de inflamações na próstata ou de doenças sexualmente transmissíveis;
  • raça: os homens negros são a maioria entre os diagnosticados com esse tipo de câncer;
  • alimentação desequilibrada: dieta rica em gorduras e carne vermelha, e/ou
    tabagismo.

É possível prevenir o Câncer

Sim. A melhor forma de prevenção — deste e outros tipos de câncer — é levar a vida de forma saudável do ponto de vista físico e emocional. No caso específico dos tumores na próstata, a melhor forma de evitar ser surpreendido por uma doença em estágio avançado é com as visitas regulares ao urologista para realização dos exames preventivos de rotina.

Saiba mais sobre a atuação do Urologista

Quais são os exames para identificar o câncer de próstata?

O diagnóstico do câncer de próstata se dá de forma integrada e complementar. Isso significa que é preciso fazer mais do que um exame, o que chamamos de check-up urológico. De maneira geral, o urologista deve solicitar:

Exame de PSA

Feito pela análise do sangue, este exame mede os índices do antígeno prostático específico — o PSA — no organismo. Quanto mais alto o nível de PSA, maiores são as chances de haver presença de tumor.

Mas, veja bem, este exame, por si só não é determinante. Além disso, ainda não se têm consenso sobre o valor para afirmar com certeza se um homem tem câncer de próstata. Normalmente, quando o nível de PSA é igual ou superior a 3 ng/ml (ou 4, para alguns especialistas),são realizados exames complementares. Esse procedimento também é apoiado pela avaliação clínica.

Há mais de um tipo de exame de PSA e o seu médico poderá solicitar o que julgar mais adequado, de acordo com a faixa etária, histórico clínico e familiar.

Exame de toque retal

Apesar de todo o tabu que envolve este exame, ele é de extrema importância para detectar alterações na próstata que possam ser indicativas de câncer, como inchaço ou áreas endurecidas. Se o tumor tiver origem na parte posterior da glândula, ele poderá ser sentido durante o toque retal.

Este exame é rápido (dura cerca de 15 segundos) e indolor. Sua importância vai além de qualquer preconceito, pois pode sugerir a possibilidade de câncer em homens que apresentam níveis normais de PSA.

Exames complementares

Quando esses dois exames não são conclusivos, o urologista pode solicitar a realização de outros procedimentos para garantir a precisão do diagnóstico. Nestes casos, podem ser realizados:

  • um ou mais dos tipos de PSA, como o PHI, o 4Kscore ou o PSA livre, e
  • exame de imagem, como ressonância magnética ou ultrassonografia transretal.

É comum que o urologista aproveite o check-up para solicitar outros rastreamentos, como a presença de inflamações ou infecções e até mesmo os níveis séricos (colesterol, glicemia, dosagem hormonal e outros exames regulares de rotina)

Leia também! Diabetes descompensado: sintomas e como controlar

Qual o momento ideal para fazer os exames de câncer de próstata?

Quanto antes for feito o diagnóstico de um possível tumor, maiores são as chances de recuperação. Desta forma, adotar a prática de repetir os exames anualmente são uma forma de se manter mais protegido não apenas deste tipo de câncer mas também de outras doenças metabólicas e crônicas, como o diabetes, por exemplo.

No entanto, esse cuidado deve se intensificar após os 45 anos, se você tem algum caso de câncer de próstata na família — ou a partir dos 50 para quem não tem esse precedente. Como a doença não apresenta sintomas, é importante manter um canal de comunicação claro e confiável com seu urologista. E, se você está em Florianópolis, a Clinifemina aqui para ajudar nisso!

Agende sua consulta aqui mesmo em nosso site ou entre em contato com a nossa equipe de atendimento pelo WhatsApp. Será um prazer recebê-lo em nossa clínica.

Publicado por:
Desde 1999, a Clinifemina conta com diversas especialidades para cuidar integralmente da saúde dos seus pacientes.
Share

Posts relacionados

+